Garantia de Direitos

Comunicação

A Violência Contra a Mulher

► Como identificar situações de violência contra a mulher?

Nem sempre a violência deixa marcas visíveis. Há muitas formas de agredir uma mulher, seja com atitudes, palavras ou comportamentos abusivos. E a maioria das mulheres vítimas de violência sofre calada. Pode ser por vergonha, medo ou por não saber a quem pedir socorro. Mas como identificar situações de violência contra a mulher? Fique atento para os sinais de agressão não declarada que também podem ser um pedido silencioso de ajuda:

  • Relatar acidentes com frequência;
  • Apresentar lesões incompatíveis com os relatos de acidentes;
  • Ter hematomas, queimaduras, contusões e fraturas;
  • Sofrer humilhações diante de familiares e amigos;
  • Ter a liberdade restrita, ser proibida de trabalhar, estudar e sair de casa;
  • Relatar dores de diversas naturezas;
  • Preocupação excessiva com o próprio estado de saúde por conta de doenças imaginárias (hipocondria);
  • Isolamento, mudanças frequentes de emprego ou de endereço;
  • Baixa autoestima, comportamento autodestrutivo, medo e sentimento de culpa;
  • Depressão, transtornos alimentares, uso de álcool e drogas.

Ao identificar algumas destas situações, ajude a vítima a procurar apoio.

► Tipos de violência contra a mulher:

  • Violência Física
    Agressão física que pode ou não deixar marcas no corpo. Alguns exemplos são: empurrões, chutes, tapas, socos, puxão de cabelos, arremesso de objetos com a intenção de machucar, sacudir ou segurar com força.
     
  • Violência Psicológica
    Ação que causa dano emocional, diminuição da autoestima ou que impeça o direito de fazer as próprias escolhas. São atitudes como ameaçar, humilhar, perseguir, chantagear, constranger, controlar o que a mulher faz, não deixá-la sair, isolar sua família e amigos, procurar mensagens no celular ou e-mail.
     
  • Violência Sexual
    Quando a vítima é obrigada a presenciar, manter ou participar de relação sexual ou contato físico não desejado, por meio de intimidação, ameaça ou uso da força. Também acontece quando ela é forçada ao matrimônio, à gravidez, ao aborto, à prostituição, a participar de pornografia ou é impedida de usar qualquer método para evitar a gravidez. 
     
  • Violência Patrimonial
    Quando há retenção, furto, destruição de bens materiais ou objetos pessoais da vítima, como instrumentos de trabalho, documentos e roupas; controlar ou tirar dinheiro contra a sua vontade.
     
  • Violência Moral
    Depreciar a imagem e a honra da vítima por meio de calúnia, difamação e injúria, como espalhar boatos e falsas acusações. Essa violência também pode ocorrer pela internet. Um exemplo é vazar fotos íntimas nas redes sociais como forma de vingança.

 

► Sobre a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006)

A Lei Maria da Penha aumentou o rigor das punições das agressões contra a mulher no ambiente doméstico ou familiar. Além de indicar a responsabilidade de cada órgão público para ajudar a mulher que está sofrendo a violência e estabelecer medidas protetivas de urgência para a vítima. 

Medidas que podem ser aplicadas em favor da mulher:

  • Acolhimento da mulher e seus filhos em local seguro;
  • Separação de corpos ou afastamento do lar sem perda de direitos em relação aos filhos e bens;
  • Encaminhamento para programa de proteção ou atendimento;
  • Inclusão em programas de assistência, atendimento médico, serviços que promovam sua capacitação, geração de trabalho, emprego e renda;
  • Caso a mulher precise se afastar do trabalho por causa da violência, ela não poderá ser demitida pelo período de até seis meses.
  • Medidas que podem ser aplicadas contra o agressor:
  • Afastamento do lar;
  • Proibição de chegar perto ou de manter contato por qualquer meio de comunicação com a vítima, seus familiares e testemunhas;
  • Restrição ou suspensão das visitas aos filhos;
  • Suspensão de porte de armas;
  • Prestação de alimentos e pensão provisórios;
  • Prisão preventiva se houver necessidade.

 

► Redução da Violência no Paraná

Com ações preventivas e o trabalho integrado de diferentes secretarias estaduais, o Paraná vem conseguindo reduzir a violência contra a mulher. De acordo com o último Mapa da Violência Contra a Mulher, divulgadao em novembro de 2015, o Paraná deixou a 3ª colocação e passou a ocupar a 19ª posição no ranking nacional de violência contra a mulher.

 

► Onde denunciar casos de violência contra a mulher?

Disque-Denúncia - 181
Serviço do Governo do Paraná que registra e encaminha as denúncias para investigação. Funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana.
As denúncias também podem ser feitas pela internet, por meio do site www.181.pr.gov.br

Delegacias da Mulher (Deam) ou Delegacias de Polícia:
Registra o Boletim de Ocorrência e apura todas as informações e provas necessárias para o inquérito policial.
www.policiacivil.pr.gov.br/modules/listatelefonica/

Polícia Militar do Paraná - 190

Polícia Civil - 197

Recomendar esta página via e-mail: