Comunicação

Família e Desenvolvimento Social

15/03/2019

CEAS aprova aumento de repasse de recursos para acolhimento de crianças e adolescentes

O Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas), órgão de instância paritária que regulamenta a política de assistência no Estado do Paraná, aprovou o aumento do repasse a unidades de acolhimento que atendem crianças e adolescentes. A proposta tinha havia feita pelo Secretário da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), Ney Leprevost, em reunião com o Ministério Público e representantes da Rede das Instituições de Acolhimento (RIA).

Segundo o secretário, o aumento do repasse vai ao encontro das demandas das organizações da sociedade civil que atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. “É uma forma de ampliar esses atendimentos e oferecermos melhor qualidade de vida para essas pessoas”, destaca.

A proposta aprovada foi levantada conforme a capacidade instalada e a média de atendimentos – informações essas preenchidas pelos gestores municipais no Programa de Capacitação do SUAS (CapacitaSUAS). No total, 22 municípios estão aptos a participar dessa ampliação.

A representante do Lar Bom Caminho, Nilcéia Braga, destaca que o aumento do aporte de recursos é fundamental para a manutenção das entidades, que possuem despesas com funcionários e no atendimento às próprias crianças. O Lar Bom Caminho atende crianças de zero a quatro anos. “O custo é muito alto para gerenciar uma Casa Lar, pois as entidades quase não conseguem doações financeiras. Então esta notícia vem em boa hora”, destacou.

O secretário Ney Leprevost também pretende levar agora a reivindicação ao Ministério da Cidadania – pois os recursos repassados às entidades são de origem tripartite, divididos entre município, Estado e União. “Vamos a Brasília lutar por mais esses recursos”, diz.

OUTRAS AÇÕES – O Ceas também debateu sobre a realização da Conferência Estadual de Assistência Social, que deve ocorrer neste ano. A Conferência Nacional, no entanto, pode não acontecer. Em conjunto, os conselheiros elaboraram uma carta em defesa da importância da realização da conferência, para ser encaminhada ao órgão nacional de deliberação colegiada. Os representantes da sociedade civil destacaram, ainda, sobre a necessidade de atenção para com a política de assistência social.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.